pteneofrdeites
Artigo do Jornal: Jornal Agosto 2019

Sobre o autor

Djalma Santos

Djalma Santos

Compartilhar -

               

Deus é a inteligência suprema, a consciência cósmica do Universo em que vivemos; uma espécie de útero universal, onde tudo se cria e tudo se mantém, numa sequência natural de nascimento, vida e morte, como parte da evolução infinita, instituída pelo próprio Deus, em que as criaturas crescem, superam e transcendem, através de reencarnações sucessivas, no campo da carne e do espírito.

       O fluido cósmico universal ou éter, como vulgarmente é chamado, é o hausto divino que emana sai de dentro da divindade, ou seja, uma força nervosa do todo poderoso, que é Deus; e tudo que existe no universo, minerais, vegetais, animais, homens, anjos e arcanjos, estão mergulhados nesse fluido divino, como se fôssemos peixes dentro de um oceano imenso.

       Jesus é o sol de nossas almas, o corretor de posições de nossas vidas, a luz que ilumina a Terra, o maior dispensador de bens eternos do mundo; e o espírito imortal, é um nômade do espaço, um andarilho do infinito, um viajor incansável da eternidade, programado para crescer, para superar, transcender e voltar para Deus, que é a sua origem e é o seu fim.

       Desde as mais priscas eras, os tempos mais remotos, que o ser humano interroga sobre a estrutura íntima do espírito imortal, que atua sobre todas as faixas vibratórias do universo, como co criador juntamente com Deus, invisível aos olhos humanos quando desencarnados, mas visível aos olhos de sensitivos, que chamamos médiuns, ou através de aparições ou materializações.

       Poderíamos definir o espírito imortal, como sendo o princípio inteligente do universo, ou uma partícula infinitesimal do pensamento humano, que necessita de experiências no campo da matéria, a fim de individualizar-se, percorrendo o reino mineral, vegetal animal até chegar ao homem, onde recebe o Livre Arbítrio e o Pensamento Contínuo, dois instrumentos que usará na sua jornada milenar, no campo da carne e do espírito.

       Espírito Imortal e Mente Hhumana, definem uma mesma individualidade, separados apenas pelo corpo físico, que é o instrumento do Espírito, enquanto encarnado, projetado pelo Perispírito, que é o intermediário entre o Espírito e o corpo físico, e que acompanha o Espírito depois da morte, para as novas dimensões do espaço. A morte devolve a à natureza o empréstimo da matéria utilizada para formar o corpo somático.

       Durante suas experiências no campo da carne, o Espírito imortal cria condicionamentos mentais, que, com o tempo, definem sua personalidade e o seu grau evolutivo, constituindo em comportamento, que é resultante de hábitos, que se fixa no inconsciente, passando a se expressar de forma automática, tornando-se característica da personalidade de cada pessoa. A repetição de pensamentos se transforma em ação que irá constituir tendências, que se manifestarãoá em forma de comunicação com o mundo exterior.

       Através da qualidade moral e emocional de que se constituemi os pensamentos, valores saudáveis ou enfermiços, passam a fazer parte dos relacionamentos pessoais com os outros, conforme a interação que ocorre de uma pessoa para com a outra. Experiências ruins proporcionam modelos ruins, levando-nos a vivenciar círculo vicioso de sentimentos e maus comportamentos, e a forma prática da Doutrina Espírita para a mudança de hábitos e pendores, o vigiai e orai, porque, quando vigamos, detectamos sempre um processo equivocado de conduta, revelado pelo coração.

       Forças superiores despertam em nós, camadas do bem que se acham adormecidas, porque, afinal, não vivenciamos somente coisas ruins em nosso passado espiritual, mas também coisas boas e espirituais, que passam a fazer parte de nossa cultura, muitas vezes em áreas que desconhecemos, e, sem perceber, muitas vezes simples atos, nos ajudam a estimular cotas de conhecimento que jamais possuímos, as às quais acrescentamos novos conhecimentos.

       Quando nos afastamos dos maus pensamentos, das tristezas, depressão, e tantos outros males, que servem de contato com entidades inferiores, que se avizinham e desejam nos estimular para o sofrimento, dor e aflição,; é chegada a hora de selecionar nossas amizades, depurar nossos ideais, e refinar nossa conversa com o nosso semelhante. Quando aceitamos os pensamentos habituais negativos, criamos um impedimento resistente, que não nos permite um raciocínio real de nossa convivência com os outros.

       A reencarnação é a Lei da Justiça; reencarnamos para evoluir e não para sofrer, como muitos pensam, e somente quando mudamos a rota errada do que estávamos fazendo, é que encontramos o nosso roteiro, o nosso norte verdadeiro, aonde se encontra a nossa verdadeira felicidade. Somos os únicos responsáveis pelo nosso destino, e temos que de redefinir sempre o caminho a percorrer, escolhendo sempre o melhor para as nossas vidas, dando sempre prioridade o espiritual, em detrimento do que é material.

       O condicionamento mental em pensamentos sombrios, de baixa qualidade moral, atrai para o nosso cosmo fluídicofluídico, entidades espirituais e almas de encarnados de baixo teor vibratório, que certamente vão influenciar em nossas decisões, e, automaticamente, fazer parceria conosco, formando uma simbiose espiritual ou associação de hábitos, tendências e pendores, que desaáguam, em última análise, em vícios, desejos e paixões,

       É necessário que possamos acreditar naquilo que professamos, no que cultuamos, na Doutrina Espírita, na crença da reencarnação, na vida depois da morte, na sobrevivência da alma, na nulidade da morte, e que tenhamos a absoluta certeza de que, diante do que estamos fazendo agora, estaremos preparados para atravessar as águas enigmáticas do rio da morte, e alcançar as alturas incomensuráveis do infinito de Deus.

Compartilhar
Topo
Ainda não tem conta? Cadastre-se AGORA!

Entre na sua conta